nº 9 - 2 semestre de 2001      


Valquíria Passos Kneipp

 

Aproveitando a comemoração do cinqüentenário da televisão, os alunos do 4º semestre do curso de Rádio e TV da Faap realizaram uma pesquisa para saber quais são as maiores preferências e rejeições na televisão brasileira. O trabalho foi desenvolvido na disciplina Promoção e Marketing em TV, e teve como objetivo levantar dentro do público-alvo; definido como sendo os próprios alunos da Faap, que tipo de programa poderia ser criado para atender essa demanda e, posteriormente, qual a definição da estratégia de marketing a ser utilizada na criação e lançamento do mesmo.

A pesquisa foi realizada no segundo semestre de 2000 e ouviu 130 alunos dos seguintes cursos: Cinema, Administração, Relações Públicas, Rádio e TV, Administração Hoteleira, Artes Plásticas, Publicidade e Propaganda, Desenho Industrial, Direito, Engenharia, Arquitetura e Colégio Faap, todos do período da manhã.

Dentre os ouvidos pela pesquisa 44,6% são do sexo masculino e 55,4% do feminino, com idades variando entre 15 e 32 anos. O questionário aplicado continha 14 perguntas que estão em anexo no final deste artigo.

Na pergunta básica, em que o entrevistado foi questionado sobre o hábito de assistir TV, 128 (98,46%) responderam que assistem e apenas dois (1,53%) disseram não. Vale ressaltar que mesmo para os que não assistem o questionário foi aplicado na íntegra. Este dado abrangente sobre o hábito de assistir tevê nós remete à Pierre Bourdieu em Sobre a televisão: "coma televisão, estamos diante de um instrumento que teoricamente, possibilita atingir o mundo"¹.

Já quando foi perguntado como assiste TV; sozinho em seu próprio televisor ou com a família, descobrimos que a grande maioria, ou seja 74,61%, assiste em seu próprio televisor, sozinhos, e apenas 25,38% assiste junto com a família. Mostrando, assim, um novo perfil dos telespectadores, de forma a individualizar a maneira de ver televisão, diferente do perfil que se tinha nos anos 70, quando o aparelho de tevê era o centro das atenções em todas salas e o momento de assistir televisão era uma grande reunião em família. Hoje em dia a maioria das casas possui vários aparelhos de tevê e cada membro da família assiste individualmente a um programa diferente, ou não.

Com relação ao horário em que cada entrevistado mais vê televisão descobrimos que o período da noite é o mais assistido, ficando com 66,9% das preferências, em segundo lugar ficou o período da tarde com 26,1%, em terceiro ficou o período da manhã com 0,7% e , ainda, em horário variados entre tarde e noite ficarão 6,3% dos entrevistados.

Com o objetivo de saber em qual tipo de tevê (aberta ou fechada) deveríamos utilizar como base para a criação de novos programas foi pesquisado qual é a porcentagem do público-alvo que tem TV por assinatura. Descobriu-se que 83,1% tem TV
por assinatura e apenas 16,9% não tem. Ainda nessa área perguntou-se também, apenas para os que tem TV por assinatura, de qual a operadora era usuário; de TV à cabo ou via satélite. Descobrimos as TVs à cabo tem uma penetração bem maior do que as Via Satélite, isto talvez se deva por estarem há mais tempo no mercado e por terem um custo mais acessível. Em primeiro lugar apareceu a NET com 53,84%, em segundo a TVA com 24,61%, ambas à cabo e em terceiro ficaram empatadas as operadoras Via Satélite: a Direct TV e a Sky, com 2,3%. Mostrando assim um crescimento e uma diversificação das TVs por assinatura.

 Operadora                  %                        Quantidade
 NET  53,84  70
 TVA  24,6  132
 DirecTV  2,3  3
 Sky  2,3  3


 próxima página >