História

O Edifício Lutetia, de propriedade da FAAP, foi projetado por Ramos de Azevedo e construído na década de 20. Exemplo marcante da arquitetura que predominou no centro paulistano na primeira metade do século XX, o prédio é um símbolo histórico. Em 1992 foi tombado pelo Conselho Municipal de Preservação – CONPRESP (Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo).

Situado na Praça do Patriarca, no centro de São Paulo, a 100 metros da sede da Prefeitura, o edifício, que faz parte de um conjunto de três prédios independentes com uma fachada única, possui 8 pavimentos, além do térreo e o subsolo, em um terreno de 256m2.

Desde sua construção, abrigou escritórios e estabelecimentos comerciais, e manteve suas características arquitetônicas externas.

Com o objetivo de restaurar e modernizar suas dependências, os professores e alunos da Faculdade de Artes Plásticas da FAAP - curso de Arquitetura - iniciaram e concluíram, no ano de 2000, a restauração da fachada, do hall de entrada do prédio e reforma das áreas internas para a utilização como centro cultural.

Em 2003, foram iniciados os trabalhos de restauro das escadarias e halls de circulação, assim como de “retrofit”, dotando o prédio de infra-estrutura moderna com novos sistemas elétricos, hidráulicos e de ar-condicionado, além de redes de cabeamento de lógica e telefonia, preservando as características originais do prédio.

Como parte das comemorações dos 450 anos de São Paulo, o Edifício Lutetia foi inaugurado, totalmente restaurado, no dia 25 de janeiro de 2004. Na oportunidade, o MAB-FAAP programou três exposições que ocuparam três andares do edifício.

O 1º andar recebeu a exposição “Ramos de Azevedo e a Cidade de São Paulo”, com foco na participação de Ramos de Azevedo, arquiteto que projetou o Edifício Lutetia.

No 2º andar, aconteceu a mostra “Esculturas – Coleção MAB-FAAP”, que apresentou obras assinadas por artistas como Weissmann, Vlavianos, Bruno Giorgi e Leon Ferrari.

O 3º piso foi preenchido com a exposição “São Paulo: Múltiplas Perspectivas”, exibindo trabalhos de alunos e professores da Faculdade de Artes Plásticas da FAAP.

O 4º e 5º andares apresentaram lofts projetados por Sig Bergamin, visando atrair a atenção do público para a viabilidade de estabelecer moradias de bom padrão no Centro, coadunando, assim, com as iniciativas da Prefeitura de São Paulo / EMURB e de ONGs como a “Viva o Centro”, além do Masp, que convergem esforços para a revitalização do núcleo urbano paulistano.

Residência Artística - FAAP

O conceito de Residência Artística é uma das formas mais características de apoio e incentivo ao desenvolvimento das artes e, a partir dos anos 80, consolidou-se em várias cidades da Europa, Estados Unidos, Canadá e Japão.

Concebida nos moldes da Cité des Arts, em Paris (local que hospeda artistas do mundo todo, inclusive os da FAAP, graças ao convênio firmado entre as duas Instituições), a Residência Artística é uma visão contemporânea das antigas bolsas de viagens. São projetos que têm como objetivo principal servir de residência temporária para artistas estrangeiros.

Neste intuito, a FAAP implantou no Edifício Lutetia 10 estúdios destinados a este público, para que possam desenvolver projetos artísticos e trocas de experiências e conhecimentos, entre si e, também com alunos e professores da FAAP.

As amplas residências (69m2 ou 79m2) foram totalmente reformadas e mobiliadas e o prédio oferece a estrutura necessária para os moradores: segurança 24 horas e câmeras de vigilância; lavanderia e almoxarifado, sala de convivência; futuras instalações de uma livraria; uma grande sala no último andar para a produção e armazenamento de trabalhos.

Ainda, nos 1º e 2º andares situa-se o MAB-FAAP Centro, que tem espaços destinados à realização de exposições de arte temporárias.