O Museu de Arte Brasileira da FAAP apresenta, a partir de 30 de novembro, a 41ª Anual de Arte FAAP, que reúne propostas artísticas contemporâneas desenvolvidas por alunos da Fundação Armando Alvares Penteado.
Com aproximadamente 300 trabalhos inscritos, a mostra apresenta instalações, gravuras, pinturas, desenhos, fotografias, colagens, vídeos, entre outras formas de expressão, selecionadas por uma comissão constituída por renomados profissionais de artes, curadores e historiadores.
A cada edição, um artista é convidado a participar da Anual e, este ano, será a vez de Marina Ayra, formada em Arquitetura e Urbanismo pela FAAP. A artista apresentará os trabalhos realizados no período em que esteve na Cité des Arts, no Programa de Residência Artística que a FAAP mantém desde 1997, em Paris. Seu projeto em poética visual- pinturas e desenhos - se desenvolve em torno das questões relativas à paisagem e a cidade. Integram a exposição documentos e material processual produzido ao longo da pesquisa desenvolvida pela artista, nos seis meses em que esteve na residência.
Desde 1964, a Anual de Arte da FAAP revela artistas e inova o conceito de arte contemporânea e criatividade ao longo de suas cinco décadas. Seu objetivo é incentivar a produção artística dos alunos, além de criar um espaço de reflexão a partir de novas ideias e percepções sobre a arte, tendo a educação como ferramenta e interface.

Histórico 

Em 2008, foi realizada uma mostra comemorativa à 40ª edição da Anual de Arte e aos 10 anos do programa de Residência Artística que a FAAP mantém junto a Cité des Arts, em Paris. A seção histórica das 40 edições da Anual de Arte reuniu catálogos, cartazes, livros de registro, fichas de inscrição e informações relativas às edições da mostra ao longo das últimas cinco décadas (de 1964 a 2008), documentando a presença dos alunos inscritos e premiados, das comissões de seleção e dos artistas convidados e homenageados.
Na mesma exposição, foi criado um espaço sobre os 10 anos iniciais da parceria entre a FAAP e a Cité des Arts, com exibição de depoimentos em vídeo dos primeiros vinte artistas que, durante seis meses, desenvolveram pesquisas e trabalhos no estúdio mantido pela Fundação na capital francesa, às margens do rio Sena. Dora Longo Bahia, Caetano de Almeida, Cláudio Mubarac, Sandra Cinto, Maria Teresa Louro, Flávio Matangrano, Laerte Ramos, Marcela Tiboni, Lia Chaia, Fábio Faria, Marcius Gallan e Adriana Guivo, entre outros, estiveram entre os artistas que relataram suas experiências.