FAAP

A EXPOSIÇÃO

Depois de passar pelo campus da FAAP São José dos Campos, a exposição “Como (...) coisas que não existem – Obras selecionadas” pode ser apreciada na FAAP Ribeirão Preto a partir do dia 27 de abril. A mostra apresenta um recorte da 31ª Bienal de Arte realizada em 2014 na capital paulista, com trabalhos de três artistas: Romy Pocztaruk (Brasil), Michael Kessus Gedalyovich (Israel) e Teresa Lanceta (Espanha).

Com curadoria de Charles Esche Galit Eilat, Nuria Enguita Mayo, Pablo Lafuente e Oren Sagiv, a exposição procura recriar a experiência que se desenvolveu no Pavilhão da Bienal. Para tanto, foram escolhidos artistas que possuem uma ligação aparente em seus trabalhos.

Pablo Lafuente, um dos curadores, explica que os tapetes de Teresa Lanceta, por exemplo, propõem um reconhecimento do saber de comunidades do norte da África e isso se relaciona diretamente com os registros da viagem de Romy Pocztaruk pela Transamazônica. Ele acrescenta que a urgência de uma nova relação com o mundo derivada das jornadas de Romy encontram eco nos amuletos de Gedalyovich, coletados durante a viagem que realizou desde as Colinas do Paraíso, em Israel, à Amazônia brasileira.



Itinerâncias 31ª Bienal

O programa de exposições itinerantes da 31ª Bienal contempla mostras em seis cidades do Brasil e uma no exterior. Diferentes recortes de obras da 31ª Bienal passam por  Campinas/SP (SESC), Juiz de Fora/MG (Museu de Arte Murilo Mendes), São José do Rio Preto/SP (SESC), Belo Horizonte/MG (Palácio das Artes e Centro de Arte Contemporânea e Fotografia) e Porto, em Portugal.

Trata-se da primeira vez que o programa de itinerâncias da Bienal de São Paulo viaja para fora do país desde a sua criação, em 2011. Para Luis Terepins, presidente da Fundação Bienal de São Paulo, as itinerâncias "buscam expandir os intercâmbios possíveis entre a vida cultural de São Paulo e os espaços expositivos no interior e exterior, projetando as questões da 31a Bienal rumo a novos públicos e novas direções".

Essa não é a primeira vez que a FAAP recebe exposições itinerantes da Bienal de Arte. Em 2012 e 2013, os campi de Ribeirão Preto e de São José dos Campos sediaram obras da brasileira Lúcia Laguna, do venezuelano Juan Iribarren e do islandês Hreinn Fridfinnsson, que participaram da 30ª Bienal de São Paulo – A iminência das poéticas.