Fundação Armando Alvares Penteado - FAAP
FAAP

A EXPOSIÇÃO

Depois de passar pela unidade de Ribeirão Preto da FAAP, o circuito itinerante da 32ª Bienal de São Paulo chega a São José dos Campos. Na exposição individual da artista inglesa Heather Phillipson, que ocupa o saguão da FAAP, estará a obra True to Size (Fiel ao tamanho), composta por vídeos, áudios e esculturas em escala humana. A instalação apresenta cenas que giram em torno da devastação, clima extremo, sexo virtual, relações entre homens e animais, conflitos de guerra, extinção iminente, vida, dilúvio e consumo e poderá ser apreciada pelo público de 19 de maio a 15 de julho de 2017.

Antes da abertura da exposição, no dia 18/5, serão realizadas duas atividades para professores e educadores da região. O objetivo é que os participantes façam uma imersão nos conceitos, nas obras e na artista presente na mostra e possam, também, trabalhar o tema em sala de aula ou mesmo levando os alunos para uma visita à exposição.

As etapas da itinerância em Ribeirão Preto e São José dos Campos renovam a parceria institucional entre a Fundação Bienal de São Paulo e a Fundação Armando Alvares Penteado, que desde 2013 promove mostras nos espaços da FAAP e um extenso programa de residências artísticas com artistas participantes das bienais.

Incerteza Viva

Intitulada Incerteza Viva [Live Uncertainty], a 32a Bienal de São Paulo ocorreu entre setembro e dezembro de 2016. A mostra teve como eixo central a noção de incerteza, a fim de refletir sobre atuais condições da vida em tempos de mudança contínua e sobre as estratégias oferecidas pela arte contemporânea para acolher ou habitar incertezas. Sua proposta foi traçar pensamentos cosmológicos, inteligência ambiental e coletiva, assim como ecologias naturais e sistêmicas. A 32ª Bienal foi concebida em torno das obras de 81 artistas e coletivos sob curadoria de Jochen Volz e dos cocuradores Gabi Ngcobo (África do Sul), Júlia Rebouças (Brasil), Lars Bang Larsen (Dinamarca) e Sofía Olascoaga (México).

Sobre a artista

Heather Phillipson (Londres, Reino Unido, 1978) 
A linguagem articulada por objetos físicos e digitais que habitam o imaginário da sociedade de consumo contemporânea é a principal matéria-prima das instalações e vídeos de Heather Phillipson. Imagens de publicidade on-line, brinquedos de pelúcia e “emojis” de aplicativos de conversa virtual aparecem nos espaços criados pela artista por meio de colagens, colisões, sobreposições e associações inesperadas. Suas instalações revelam uma investigação sobre como emoções, afetos e desejos são construídos e manipulados no interior desse conjunto heterogêneo de referências culturais. Phillipson atua também como escritora e poetisa, sendo frequente em seus vídeos a presença do texto lido, sobreposto a trilhas sonoras construídas segundo a mesma lógica fragmentária. TRUE TO SIZE (Fiel ao Tamanho) (2015-2016) consiste em vídeos, áudios e esculturas em escala humana. É uma suíte de cenas que tem como tema a devastação – clima extremo, higiene extrema, sexo virtual, comunicação excessiva, guerras, extinção iminente, sobrevida, enchentes e, em um sentido mais amplo, consumo e desejo. A escala dos objetos e imagens representados faz com que eles, momentaneamente, percam a banalidade com que são consumidos no cotidiano.

32ª Bienal - Itinerâncias

A 32ª edição da Bienal, que recebeu 900 mil visitantes em 2016, terá recortes exibidos em cidades do Brasil e do exterior em 2017. Seleções de obras viajam as cidades de Campinas/SP, Belo Horizonte/MG, São José dos Campos/SP, Brasília/DF, Cuiabá/MT, São José do Rio Preto/SP, Ribeirão Preto/SP, Garanhuns/PE, Palmas/TO, Santos/SP, Itajaí/SC e Fortaleza/CE. As itinerâncias internacionais já estão confirmadas na Colômbia, no Chile e em Portugal.