29ª Bienal de São Paulo

MAUMAUS ESCOLA DE ARTES VISUAIS
Residência Artística FAAP

Estão abertas as inscrições para os ex-alunos de graduação da FAAP, das áreas de Artes Plásticas, Cinema, Comunicação e Moda, cujo vínculo com a Fundação tenha terminado há até 3 anos, para participar do programa de atividades realizado pela Escola Maumaus (Lisboa), um projeto realizado em parceria com a FAAP e a 29ª Bienal de São Paulo.

Inscrições até 25 de setembro, através do e-mail: resartisfaap.info@faap.br ou fax: (11)3101-1776

1. APRESENTAÇÃO

1.1. Cruzando o(s) Oceano(s)

Durante uma conferência que apresentou no Programa Independente de Estudos das Artes Visuais da Maumaus, Salah Hassan, diretor dos Estudos Africanos e do Centro de Pesquisa da Cornell University (EUA), mencionou que esse programa poderia ser o modelo de um projeto de ensino de artes eficiente, não burocrático, flexível e com custos baixos, que poderia ter lugar em um apartamento em qualquer lugar do mundo, tornando-se uma plataforma para as comunidades locais pensarem a arte criticamente e com o envolvimento de participantes do exterior – Hassan estava pensando no Sudão, o seu país natal, e na cidade de Khartoum.

Os participantes do Programa Independente de Estudo das Artes Visuais, majoritariamente artistas com experiência no campo da arte, consideram a Maumaus, que opera no primeiro andar de um edifício do século XIX no centro de Lisboa, como um lugar extraterritorial, imune às regras locais do sistema português de artes plásticas contemporâneas, mas contribuindo fortemente para o seu desenvolvimento, apesar de manter alguma distância. O Programa de Estudos da Maumaus é hoje reconhecido pelo caráter pouco formal das suas propostas educativas a respeito da arte, nomeadamente daquelas que são baseadas na pesquisa teórica e na investigação profunda das matérias. O Programa da Maumaus procura pôr em prática uma forma de produção de conhecimento alternativa no e para além do campo das artes visuais. A Maumaus tornou-se uma importante referência, dentro e fora de Portugal, atuando como uma plataforma para um pensamento crítico da arte e como uma das poucas instituições em Portugal que trata de questões da arte relacionadas com o colonialismo, o pós-colonialismo e o neocolonialismo, português ou em geral.

Tendo em conta a estrutura leve da Escola Maumaus e que um dos focos da próxima Bienal de São Paulo será Arte e Educação, a proposta de participação da Maumaus nesse evento contempla o encerramento temporário das suas instalações em Lisboa e, durante o período de cerca de um mês e meio, deslocar o funcionamento do Programa Independente de Estudos das Artes Visuais para a cidade de São Paulo, como parte do programa da 29ª Bienal de São Paulo.

O principal tópico do Programa a ser desenvolvido pela Maumaus em São Paulo será o passado colonial português e o posicionamento atual de Portugal e do Brasil perante esse passado, estendendo também a pesquisa à história de países como Moçambique, Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau ou São Tomé e Príncipe, que anteriormente fizeram parte do “Império Colonial Português”. Nesse âmbito, o Programa procurará pesquisar intensivamente o passado para melhor compreender o presente.

2. ATIVIDADES

2.1. O projeto consiste na realização de seminários, conferências e, provavelmente, um projeto expositivo, desenvolvidos com um grupo de 12 artistas internacionais participantes (6 artistas do Programa de Estudos da Maumaus em Lisboa e outros 6 provenientes do Brasil – ex-alunos da FAAP).

2.2. Os seminários com os professores convidados serão realizados diariamente na Residência Artística FAAP, no período de 8 semanas, entre 28 de setembro de 2010 e 14 de novembro de 2010. A língua falada será o inglês.

2.3. A Maumaus convidará os seguintes conferencistas e regulares participantes do corpo docente do Programa, que acontece em Lisboa, para darem a sua importante contribuição no Brasil ao grupo de artistas e pesquisadores escolhidos:

•        Ângela Ferreira, artista e habitual conferencista na Maumaus, com a sua reconhecida pesquisa e arte em torno do “espaço” entre a Europa e a África, da africanidade na Europa e da europeanidade na África (por exemplo, a sua instalação For Mozambique [Model no. 2 of Screen-Orator-Kiosk celebrating a post-independence Utopia], 2008).
•        Gertrud Sandqvist, habitual conferencista e membro do Conselho Consultivo da Maumaus, está atualmente pesquisando a opção pós-colonial de uma “terceira via”, a não aliança como alternativa para os países libertos procurarem a sua utopia moderna pós-independência.
•        Renée Green, um dos elementos do corpo docente convidado da Maumaus que estudou as relações entre o Brasil e Portugal como parte da continuada pesquisa pelo passado colonial que realiza desde a década de 1990 – os seus estudos inspiraram a instalação Returns: Tracing Lusitânia, apresentada em 2000 no Project Room, do Centro Cultural de Belém, em Lisboa.
•        Maria Thereza Alves, tutora durante o ano acadêmico de 2009–2010, atualmente desenvolve uma exposição para a galeria da Maumaus em Lisboa sobre aspectos do genocídio provocado pelos portugueses aos Krenak, povo indígena de Minas Gerais (Brasil), no começo do século XIX.
•        Manuela Ribeiro Sanches, investigadora no Centro de Estudos Comparatistas da Universidade de Lisboa e membro do corpo docente da Maumaus, com o seu projeto Deslocalizar a Europa – Antropologia, Arte, Literatura e História na Pós-Colonialidade.
•        Manthia Diawara, com quem a Maumaus produziu, em 2008, o filme Maison Tropicale e, em 2009, o festival de cinema African Screens, em Lisboa.
•        Salah Hassan, que recentemente foi acolhido pelo Programa de Residências da Maumaus e apresentou, no Programa Independente de Estudos das Artes Visuais, a conferência Contemporary 'Islamic' Art and the Global War on Terror.

Cada professor fará um workshop com o grupo durante uma semana, na Residência Artística FAAP.
No Brasil, a Maumaus valorizará o processo criativo. Um quadro vagamente definido será permanentemente reinventado, impulsionado pelos resultados dos encontros entre os 14 artistas participantes e destes com os tutores internacionais do Programa Independente de Estudos das Artes Visuais da Maumaus.

3. PERFIL DOS CANDIDATOS

3.1.  O candidato interessado em pleitear uma das seis (6) vagas abertas aos ex-alunos da FAAP para participação no programa de cursos realizados pela Maumaus, em parceria com a FAAP e a 29ª Bienal de São Paulo, deve enquadrar-se nos seguintes requisitos:
1 – ser formado na FAAP, nos cursos de Artes Plásticas, Cinema, Moda ou Comunicação, há até 3 anos, com trabalho próprio em desenvolvimento;
2 – comunicar-se em inglês de forma fluente (o inglês será a língua falada nos encontros);
3 – ter disponibilidade para comparecer aos encontros diários na FAAP nas datas mencionadas no item 2.2;
4 – ter um trabalho pessoal como artista, independente da área de formação.

3.2. Os candidatos deverão se apresentar mediante inscrição da ficha abaixo e envio, para o endereço resartisfaap.info@faap.br ou para o fax: (11)3101-1776, de uma breve carta de intenção, currículo e portfólio (todos os documentos deverão ser entregues em PDF).

4. Da seleção

A seleção será organizada em duas etapas: primeiro, uma pré-seleção dos participantes será feita pela coordenação da Residência Artística FAAP e pela curadoria da 29ª Bienal de São Paulo. A seleção final dos nomes fica sob responsabilidade de Jürgen Bock, diretor da Maumaus Escola de Artes Visuais.

Clique aqui e imprima a ficha de inscrição